terça-feira, 22 de novembro de 2011

Matéria do Globo veiculada em 22/11/2011

BRT Transcarioca terá um mergulhão a menos

Mudança no projeto vai gerar economia de R$ 62 milhões que vai cobrir despesas com obras que custaram mais do que o previstoOperários trabalham na construção do Transcarioca, que ligará a Barra ao Aeroporto Tom Jobim
 Foto: Pedro Kirilos / O Globo


Operários trabalham na construção do Transcarioca, que ligará a Barra ao Aeroporto Tom JobimPEDRO KIRILOS / O GLOBO
RIO - Mudanças à vista no projeto do BRT Transcarioca, corredor expresso exclusivo para ônibus articulados que ligará a Barra da Tijuca ao Aeroporto Internacional Tom Jobim. A prefeitura desistiu de construir um dos três mergulhões que estavam previstos na Avenida Ayrton Senna, na Barra, com o objetivo de transformá-la numa via expressa sem sinais. Para reordenar o trânsito nas ruas internas do bairro, a Secretaria municipal de Obras optou por uma solução mais barata no lugar de um mergulhão na faixa lateral sentido Barra, na altura do Shopping Via Parque: ali será construído um viaduto.
Inspeção do TCM constatou mudanças no projeto
O objetivo das mudanças é cortar custos e tentar evitar que o projeto saia mais caro que o planejado. Os recursos economizados serão remanejados para canteiros cujas despesas já estão R$ 62 milhões acima do previsto. As informações sobre alterações no projeto foram levantadas durante visitas técnicas do Tribunal de Contas do Município (TCM).
As mudanças de projeto não são o único problema da Transcarioca. Na Avenida Salvador Allende, o alargamento de um trecho de pouco mais de cem metros da via está paralisado há mais de um mês. O motivo é que a prefeitura tenta remover, sem sucesso, os moradores da favela do Arroio Fundo. A Rio Águas chegou a intimar os donos dos imóveis a demolir suas casas, mas voltou atrás depois de ser notificada pela Defensoria Pública da União. Os moradores recorreram à Defensoria alegando que a comunidade que se originou de uma colônia de pesca tem mais de 80 anos e já solicitara ao governo federal a emissão de títulos de posse.
Previsto para ser inaugurado até a Copa do Mundo de 2014, o Transcarioca tem custo estimado em mais de R$ 1,5 bilhão, entre obras e desapropriações. As revisões de projeto atingiram o chamado Lote 1 (Barra-Penha), onde estão sendo gastos quase R$ 800 milhões. Além do mergulhão da Barra, a prefeitura desistiu de fazer um novo viaduto no bairro de Vicente de Carvalho.
Dos R$ 62 milhões remanejados, quase a metade será para cobrir despesas extras com os dois mergulhões em construção em frente à Cidade da Música, também na Avenida Ayrton Senna. Orçadas inicialmente em R$ 36 milhões, as obras vão custar agora R$ 66,9 milhões (R$ 30,2 milhões a mais). Segundo o TCM, o custo dobrou porque houve uma revisão nas técnicas de engenharia empregadas na construção dos dois mergulhões.
Em Campinho, modificações no projeto de outro mergulhão, entre as ruas Cândido Benício e Domingos Lopes, exigirão gastos extras de R$ 19,5 milhões (de R$ 30,2 milhões para R$ 49,7 milhões). Já o alargamento do Viaduto Negrão de Lima, em Madureira, ficará R$ 11,6 milhões mais caro.
Segundo o TCM, uma das razões para as mudanças na obra pode estar no fato de o projeto básico ter sido concluído antes da concessão da licença ambiental. No caso do Viaduto Negrão de Lima, por exemplo, materiais de obras tiveram que ser substituídos devido a riscos de saúde pública já que o canteiro era muito próximo do Mercadão de Madureira, polo comercial do bairro.
Novo trecho na Via Parque em área de kartódromo
No caso da Barra, o projeto que vai substituir o mergulhão prevê outras intervenções além de um viaduto. Um novo trecho da Avenida Via Parque será construído na área hoje ocupada por um kartódromo. A ideia é que sirva como retorno para os motoristas que seguem em direção à Linha Amarela ou a Jacarepaguá.
O Transcarioca não é o primeiro corredor BRT a ter o projeto modificado. No corredor Transoeste (Barra-Campo Grande-Santa Cruz), a prefeitura desistiu de construir um novo viaduto de acesso entre as avenidas das Américas e Benvindo de Novais. Além disso, adiou por tempo indeterminado a implantação do chamado lote zero da obra, entre o Jardim Oceânico e o shopping Cittá América.

domingo, 20 de novembro de 2011

EIARIMA - Site do MP.

Divulgamos aqui um link para consulta do levantamento ambiental feito para o o projeto original (Est. Engenho da Pedra). O link é para uma página do Ministério Público e abriga fotos da vegetação local, estudos de desapropriação e muitas outras informações importantes. Ótima consulta para quem quiser conhecer melhor o primeiro projeto.

http://rap.mp.rj.gov.br/EIARIMA/RAS_Corredor_Transcarioca_T5_Penha_Ilha.html

Mais um vídeo!

Obrigado!


sexta-feira, 18 de novembro de 2011

VIVA O DR. WALTER!

Gostaríamos de agradecer a presença do Dr. Walter. Aos 80 anos de idade e 51 de profissão ele é um ícone em nosso bairro e expressa toda a tradição de Ramos. Mesmo tendo imóveis na Urca, Copacabana e outros bairros da Zona Sul do Rio ele faz questão de viver em Ramos. Essa é a essência do nosso movimento! Viva o Dr. Walter! Que Deus abençoe este senhor!






Afinal, para que servem os relatórios de impacto ambiental e as licenças ambientais?

    Muita gente ainda questiona porque as licenças ambientais são tão importantes. Toda obra feita pelo homem causa interferências indesejáveis ao meio ambiente e também nas comunidades onde é realizada. Estes impactos precisam ser exaustivamente estudados e minimizados antes do início de qualquer empreendimento público, é o que diz a Lei.
    Tomemos como exemplo o impacto de uma construção do BRT margeando a linha do trem: quais os impactos que poderiam ocorrer em uma construção como essa? Podemos citar vários exemplos - o barulho, a derrubada de árvores e obras em leito de rios (impacto ambiental); os engarrafamentos (impacto viário); as desapropriações (impacto social), a demolição de um prédio tombado ou de uma instituição tradicional (impacto cultural); assim como o aumento da dificuldade de acesso dos moradores de um lado para o outro do bairro, que causa uma maior segregação da comunidade.
    Nos chama a atenção um impacto em particular: o sistema de drenagem. A Prefeitura precisa considerar a influência que uma obra deste vulto possa causar no sistema de drenagem de nosso bairro. Todos sabemos que ao menor sinal de chuva forte, Ramos alaga. Isto ocorre porque a rua Uranos e a Av. dos Campeões são escoadouros naturais das águas pluviais da região do Complexo do Alemão, mais alto, e portanto, são áreas naturalmente inundáveis. Em 2006, por conta da linha ferroviária, que retem o curso natural das águas e de uma falha no sistema de drenagem da garagem do Penha Shopping ocorreu uma tragédia que deixou 6 mortos. 

Prestem bastante atenção na foto abaixo. Esta é a passagem subterrânea sob a linha ferroviária na rua José Maurício, na Penha. Esta passagem fica nos fundos do Penha Shopping ao lado da Estação Ferroviária servindo como travessia entre os dois lados do bairro. A água da chuva escoou para a a passagem subterrânea e arrastou alguns carros que funcionaram como uma espécie de "tampão". O nível de água na R. José Maurício chegou a 1,5m! 

Carros ficam amontoados no Rio de Janeiro após tempestade que matou 12 pessoas  Foto: O Dia


Leiam abaixo a reportagem veiculada em 27/01/2006 no Jornal O DIA. Reparem em uma provável consequência de um estudo de impacto ambiental mal elaborado. Imaginem se após a construção da Transcarioca uma chuva como a de 2006 tornasse a cair no Rio de Janeiro? 


O DiaTemporal mata oito pessoas no Rio de Janeiro
27 de janeiro de 2006  22h11  atualizado em 28 de janeiro de 2006 às 09h27


Motoristas tentam tirar carro trancado em alagamento. Foto: O Dia
Motoristas tentam tirar carro trancado em alagamento
Foto: O Dia
Pelo menos seis pessoas morreram afogadas no estacionamento subterrâneo do Penha Shopping, na avenida Brás de Pina, no Rio de Janeiro, devido às fortes chuvas que atingiram a cidade a partir do início da noite de ontem. Outras duas pessoas morreram na cidade em decorrência do temporal.
Por volta das 6h45 deste sábado, Arnaldo Marcolino, 56 anos e Luis Pintor foram encontrados pelos bombeiros no interior do estacionamento. Ontem, outras quatro pessoas que não conseguiram sair dos carros também foram localizadas. São elas: Maria Célia Gomes, 42 anos, Cláudio Henrique Chaves Nauzão, 37 anos, e mais duas mulheres ainda não identificadas.
De acordo com bombeiros, é provável que existam outros corpos no local e as buscas continuam. Bombas de sucção a vácuo auxiliam na retirada da água. O alagamento no estacionamento ainda tem um metro de água, o que dificulta o trabalho.
Ainda por causa do forte temporal, o segurança Rafael Gonçalves dos Santos, 25 anos, foi eletrocutado ao pisar em fiação elétrica na Rua José de Alvarenga, no Centro de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.
Em Inhaúma, zona norte do Rio, uma casa desabou e matou uma mulher de 70 anos.
O aguaceiro que desabou às 17h45 e durou 50 minutos atingiu principalmente a Região Metropolitana do Rio. As defesas civil municipal e estadual estão em estado de alerta. A previsão é de mais chuva até domingo. Cem mil pessoas ficaram às escuras em sete municípios da Baixada e em 17 bairros da capital. Bandidos atacaram motoristas na Avenida Brasil perto da Vila do João, de Cordovil, Penha, Bonsucesso e Benfica e na Avenida Leopoldo Bulhões.
Trilhos alagados levaram a SuperVia a paralisar por duas horas o tráfego em duas linhas do ramal Gramacho (Central-Gramacho e Central-Saracuruna) por volta das 19h. As barcas pararam, uma embarcação bateu nas pedras perto do Forte do Gragoatá por volta das 19h30 e bombeiros tiveram que resgatar os passageiros. Barco virou no Quebra-Mar na Barra, mas seus ocupantes se salvaram. Os aeroportos Internacional Tom Jobim e Santos Dumont fecharam para pouso e decolagem às 19h30.
No Centro, o alagamento parou as avenidas Presidente Vargas e Mem de Sá e as ruas de Santana e Frei Caneca. Houve engarrafamentos na Tijuca, Jacarepaguá, Flamengo, Catete e Laranjeiras. Em São Francisco Xavier, a água passou de meio metro de altura. A água invadiu também lojas do Norte Shopping, no Cachambi; do Shopping América, em Del Castilho, que ficou com a praça de alimentação alagada; e do Mercadão de Madureira.
Dois carros caíram no canal da Avenida Paulo de Frontim, mas ninguém se feriu. Na Rua Pedreira, em Cascadura, um muro desabou sobre o Voyage placa KMU 7725. Em Madureira, na Rua Piribi, barreira desabou sobre uma casa mas nenhum morador foi atingido. No Complexo do Alemão, na Vila Cruzeiro e na Avenida Itaóca, houve deslizamento de terra sobre diversas casas, deixando várias pessoas desabrigadas
A chuva inundou várias ruas, principalmente da Zona Oeste, alagou lojas e trouxe prejuízo para as escolas de samba, que ficaram com os atêlies debaixo d¿água, na Cidade do Samba, na Gamboa.
Invadiu também a Emergência do Hospital Geral de Bonsucesso (HGB) e 60 pacientes tiveram que ser transferidos para leitos nos andares superiores e para o Hospital Municipal Duque de Caxias. O CTI do Hospital Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, foi invadido pela água, e os pacientes ficaram encharcados durante duas horas, até serem transferidos. Na Maternidade Praça XV, a situação não foi diferente. O teto de gesso do refeitório desabou. Ninguém ficou ferido.


Veja também outra reportagem sobre o mesmo assunto:
 http://g1.globo.com/jornalhoje/0,,MUL1150859-16022,00-DESESPERO+E+MORTE.html
http://g1.globo.com/jornaldaglobo/0,,MUL890880-16021,00-CHUVA+E+MORTE+NO+RIO.html

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Passou na BAND também!

Agradecemos também à rede BAND de TV que acompanhou toda a manifestação. A reportagem foi exibida em 15/11/2011 no programa CIDINHA LIVRE. Em breve o link para o vídeo será também publicado aqui no blog. Aguardem!

Link do programa: http://blogs.band.com.br/cidinhalivre/

ESCRACHA!

Reportagem exibida dia 16/11/2011 no programa Balanço Geral. Obrigado ao Wagner Montes!

Só temos uma ressalva ao vídeo: O NOSSO PROTESTO NÃO PEDE UMA MUDANÇA DE TRAJETO. Quem está acompanhando a nossa luta sabe bem que o projeto original era pela Estrada do Engenho da Pedra. Estamos lutando contra uma possível alteração de trajeto para o nosso bairro! Um projeto desta magnitude não pode ser alterado por questões políticas e sim por critérios técnicos. 

video


Jornal Mural - Gerson

Nosso agradecimento ao senhor Gerson pelo post em seu blog!

Acompanhem o link:
http://poetagerson-jornalmural.blogspot.com/2011/11/transcarioca-manifestacao-contra-passar.html

Mais vídeos!

Novo vídeo enviado ao post:


http://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=SmvaKJn2kTI


Obrigado e continuem enviando!

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Fórum de discussão

Gostaríamos de pedir a todos os interessados em discutir o assunto Transcarioca - Trecho 2 - Penha - Galeão para utilizarem um fórum já existente na WEB. Sigam o link: http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=1047133&page=50 . Neste fórum há muitos moradores de Olaria que participam ativamente e acreditamos que lá seja um espaço democrático que possa ser usado por todos! 

Obrigado!

Comissão.

Reportagem da TV Record - RJ no Ar - 16/11/2011

A reportagem foi veiculada no programa RJ no Ar. Rede Record, obrigado pelo apoio!

RJ no Ar
publicado em 16/11/2011 às 09h31
Moradores da zona norte do Rio protestam contra Transcarioca

Vídeos no Youtube

E os vídeos não param de chegar!

Envie o seu link pelos comentários e postaremos aqui. Agradecemos aos que já enviaram!

Links para alguns vídeos já postados:

http://www.youtube.com/watch?v=x_b602-5TsU&feature=related
http://www.youtube.com/watch?v=E2FUENF5aSI
http://www.youtube.com/watch?v=mRHmg_x94dg
http://www.youtube.com/watch?v=ynIYHMG1Wv0
http://www.youtube.com/watch?v=2K9B11h-wDM                       
http://www.youtube.com/watch?v=x6zr__WspM8

Matéria do Expresso - 16/11/2011 - Geral - Página 9

O nosso obrigado também ao jornal EXPRESSO da Informação!



Reportagem veiculada no jornal O POVO em 16-11-2011 - Página 2

Agradecemos também ao Jornal POVO do RIO! Obrigado!


Reportagem veiculada no Globo em 16-11-2011 - Rio - Página 19

Contamos também com a importante cobertura do jornal O Globo. Obrigado!


terça-feira, 15 de novembro de 2011

Vereador Jorginho da SOS adere ao movimento

O vereador da base do governo, Jorginho da SOS (DEM), subiu ao palanque para apoiar como cidadão ao nosso movimento que visa preservar o bairro de Ramos. Neste vídeo ele informa que o Sr. Prefeito tem interesse em preservar o bairro e que está aberto a sugestões de traçado. Vamos fazer ouvir a nossa voz:

Transcarioca sim. Na Uranos não! Use a linha férrea!







Para maiores informações sobre o vereador, acesse: http://www.camara.rj.gov.br/vereador_interna.php?m1=vereadores&m2=ver_atuais&cvd=104  

Quase 1000 pessoas estiveram presentes em nossa manifestação!

Nem mesmo a chuva forte que caiu no início da manhã foi capaz de desanimar moradores e comerciantes de Ramos. Quase 1000 pessoas participaram da passeata que começou na Av. dos Campeões e terminou com uma grande concentração na Praça Irene Viana Pinheiro. Viva o povo de Ramos!


Elymar Santos apóia nossa causa!

O cantor Elymar Santos compareceu hoje à nossa manifestação. Neste vídeo, Elymar fala sobre a importância do diálogo com o Prefeito e manifesta sua preocupação com o tradicional Colégio Pio XI que poderá ser afetado direta ou indiretamente pela mudança do projeto da Transcarioca para a Uranos.


O "Bicho Pegou" em Ramos!

Agradecemos também a presença da Super Rádio Tupi através do repórter Pedro Costa. Pedro participou desde o início da passeata, saindo da Av. dos Campeões, e fez diversas entradas no Programa Francisco Barbosa. Quem chegava ao local logo via o "vermelhinho" da Tupi seguindo o comboio. Pedro subiu no trio elétrico e com a sua cobertura nos ajudou na manifestação. Fica aqui o nosso muito obrigado!


Ocupa Sampa em Ramos?

É verdade! Tivemos hoje a participação do Sérgio do movimento Ocupa Sampa. Agradecemos por sua presença e reiteramos o nosso apoio a todos os movimentos feitos pelo Povo e para o Povo, que sejam pacíficos, ordeiros e que acima de tudo prezem pela Democracia!

Link para o Ocupa Sampa: http://15osp.org/

O site Rede Suburbana também colaborou com a cobertura de nossa manifestação!

Moradores e comerciantes fazem manifesto em Ramos contra BRT

15NOV
Na manhã do feriado do Dia da República, Ramos amanheceu diferente: uma grande manifestação na praça Irene Vianna Pinheiro (em frente ao viaduto), juntou aproximadamente 500 pessoas.

Moradores se concentram na manhã desta terça para manifestação contra a instalação da Transcarioca, em Ramos
O objetivo da Associação Comercial e Empresarial de Ramos e Olaria (ACERO), organizadora da ação, é chamar a atenção do prefeito Eduardo Paes e do governador Sérgio Cabral para os problemas que implicam na construção de parte da Transcarioca no bairro. A via que ligará a Barra ao Aeroporto do Galeão passaria inicialmente por Olaria; mas, devido à pressão de moradores do bairro, o projeto foi modificado e ela será implantada na rua Uranos, acabando com o comércio. Segundo manifesto distribuído no local, estabelecimentos tradicionais como o supermercado Mundial e parte de Colégio Pio XI seriam substituídos por seis pistas de tráfego. Para a população, o ideal seria que a via expressa passasse pela linha férrea.

Abaixo-assinado, que já conta com mais de 5 mil assinaturas, será entregue ao prefeito
De acordo com José Rodrigues da Cal, membro da Comissão de Moradores e Comerciantes, cerca de mil empregos serão afetados diretamente: “Agora que o bairro está crescendo novamente, agora que temos paz, querem acabar com nosso comércio?”, indaga José.

O vereador Jorginho da SOS, morador do bairro, também esteve presente
Para mais informações sobre a ação, acesse  www.transcariocanao.blogspot.com.

Jornal Extra cobre a nossa manifestação!

O Jornal Extra esteve presente hoje em Ramos e fez a cobertura de nossa manifestação! Abaixo uma reprodução do conteúdo. Confira a reportagem na íntegra em:       http://extra.globo.com/noticias/rio/nao-deixe-nosso-bairro-morrer-apelam-moradores-de-ramos-3243229.html

Não deixe o nosso bairro morrer’, apelam moradores de Ramos

Moradores de Ramos protestam contra o traçado da Transcarioca. Foto: Thiago Freitas / Extra

Eleticia Quintao

Os 'caciques de Ramos' resolveram mostrar sua força. Com faixas, caixões simbólicos, cruzes e camisas com a frase: “não deixe o nosso bairro morrer, aproximadamente 500 moradores e comerciantes do bairro fizeram uma manifestação pacífica, nesta terça-feira, contra o traçado do corredor expresso Transcarioca. A exemplo do que aconteceu em Olaria, onde os moradores conseguiram modificar o projeto, os manifestantes querem chamar a atenção do prefeito do Rio, Eduardo Paes, contra as desapropriações.
Acatando o pedido feito pelos moradores de Olaria, o prefeito alterou o traçado da Transcarioca para Ramos afetando diretamente moradores e comenciantes das ruas Uranos, Emílio Zaluar e das Avenidas dos Campeões, Postal e Teixeira de Castro. As desapropriações darão lugar a seis pistas de tráfego, extinguindo lojas tradicionais do bairro. Segundo levantamento feito pelos comerciantes, cerca de mil empregos diretos serão afetados pelo suposto trajeto. Um abaixo-assinado está sendo preparado pelos moradores para entregar ao prefeito, em que já foram recolhidas 5 mil assinaturas.
De acordo com José Rodrigues da Cal, membro da Comissão de Moradores e Comerciantes, há 15 dias, o subprefeito da cidade, André Santos, se reuniu com os moradores, pedindo para que eles formassem uma Comissão.
— A comunidade de Ramos quer que o projeto volte ao que era anteriormente, com o traçado pela Engenho da Pedra, mas o subsecretário bateu o martelo e disse que será pela Rua Uranos — lamentou José.
Escola tradicional ameaçada
Além do comércio da região, o tradicional Colégio PIO XI também será prejudicado. A unidade de ensino que abriga quase 2 mil alunos e está no bairro há mais de 75 anos, perderá 40% de sua estrutura física. Segundo o coordenador de Educação Física, Sergio Luiz de Freitas Ribeiro, professor da instituição há 34 anos, o colégio perderá três quadras externas, uma polivalente, uma de vôlei e uma de aquecimento, além do refeitório utilizado pelos serventes e a lavanderia das irmãs.
— A direção está apavorada. As irmãs estão rezando três terços por dia. Será uma perda muito grande para o colégio. Não podemos avaliar o impacto, mas acreditamos que a procura dos alunos cairá pela metade, uma vez que o carro-chefe da escola sempre foi a parte esportiva — destacou o professor.
Quem vive no lugar há muito tempo não consegue aceitar o desrespeito como o advogado Walter Gomes de Andrade, de 80 anos. Atualmente aposentado, ele ainda trabalha diariamente das 9h às 18h e fez carreira no bairro. Walter tem casa na Urca, mas não abandona o lugar.
— O que estão fazendo é um crime. Estão tirando uma parte de nós. Queria morrer ali. (referindo-se ao seu escritório de advocacia na Rua Uranos 1.055).
Indignada, a comerciante Jaqueline dos Santos, de 40 anos, disse que o prefeito precisa estudar mais a cultura da região.
— Eu acho que ele (prefeito) não conhece o nosso bairro. Aqui é terra de Pixinguinha e da família Caruso... será que ele sabe que Ronaldo, o fenômeno foi descoberto aqui, jogando no Social Clube? Aqui temos o Cacique de Ramos, a Imperatriz Leopoldinense e ele quer jogar todo esse patrimônio cultural fora. Sou solidária a quem investiu heroicamente neste bairro.
A assessoria de imprensa da secretaria de Obras informou que o traçado do lote 2 da Transcarioca foi alterado por uma exigência do Instituto Estadual do Ambiente (INEA), órgão que concede licença ambiental para execução das obras. Os moradores da Rua Uranos, em Olaria, estão sendo atendidos pela Subprefeitura da Zona Norte, que está esclarecendo as dúvidas dos proprietários e intermediando a relação com a Prefeitura. Para mais informações sobre o traçado e desapropriações, os moradores podem entrar em contato com a SMO pelo telefone 2976-2621.

Ideias são muitas...

Durante a manifestação ouvimos muitas boas ideias de como usar a linha férrea de modo positivo. Um manifestante nos entregou um recorte do Jornal O Globo de 1997 que mostrava uma ilustração de como ficaria um projeto de um mergulhão da linha férrea. Ótima ideia que poderia ser facilmente usada no centro de Ramos. Sem  a linha férrea a integração do bairro seria plena!

Obrigado!

A todos o nosso muito obrigado pela belíssima manifestação! Vamos torcer para que os nossos objetivos sejam alcançados e que o Sr. Prefeito atenda às nossas reivindicações! Nos próximos posts seguirão alguns links de vídeos no Youtube bem como fotos e a cobertura da Imprensa. Gostaríamos de pedir para que todos os manifestantes que registraram fotos e vídeos hoje postem aqui nos comentários os seus links. Aguardem nossos próximos posts!

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Audiência Pública: a regra é clara!

Para dar início às obras a Prefeitura é obrigada por lei a fazer uma Audiência Pública e nesta ocasião faz uma divulgação do detalhamento do projeto à população. A Audiência para o projeto original (Estrada do Engenho da Pedra) foi realizada em 7 de Dezembro de 2010. Confira aqui a ata deste certame onde os engenheiros responsáveis fazem uma brilhante explicação do escopo do projeto. Lembrando que, caso o projeto seja alterado, uma nova Audiência é OBRIGATÓRIA. Se isto ocorrer, nós EXIGIMOS A PRESENÇA DO SR. PREFEITO na data marcada!

Carta ao Sr. Prefeito Eduardo Paes

Ao Excelentíssimo Sr. Prefeito da Cidade do Rio de Janeiro,

    Nós, comerciantes e moradores dos bairros de Ramos, Olaria e Vila Santo Antônio, residentes e domiciliados nesta cidade, manifestamos através desta mensagem eletrônica o nosso repúdio à iminente modificação no projeto da TRANSCARIOCA - trecho 2 (PENHA-GALEÃO) e, por conseguinte, solicitamos a intervenção de V.Sª no assunto com o intuito de impedir esta mudança absurda e que provocará um irreversível impacto social em nossa comunidade. 
    A provável mudança, segundo informações divulgadas pela Subprefeitura e pela Imprensa, foi motivada por uma Consulta Pública realizada pelo INEA aos moradores da região afetada pelo projeto original e consecutiva manifestação de um pequeno grupo (menos de 200 pessoas) contrário às obras. A presidente do INEA, Sra. Marilene Ramos, solicitou à Prefeitura que justificasse porque o trajeto inicial seria o mais viável ou que apresentasse outro, cujo número de desapropriações fosse menor. Os moradores da região afetada pelo Decreto Municipal cruelmente indicaram um novo traçado e indicaram o trajeto pela Rua Uranos. 
    Sabemos que um Relatório Ambiental já foi realizado para o projeto original, porém, entendemos também que os moradores e usuários da Rua Uranos, Emílio Zaluar, Av. dos Campeões, Av Postal, Teixeira de Castro e demais logradouros afetados pela mudança também têm o direito de serem consultados, uma vez que esta obra trará graves consequências para o trânsito, meio-ambiente e comércio local, este último tão importante em um bairro secular, há muito abandonado por administrações anteriores, agora pacificado e começando a ressurgir no cenário municipal após diversas iniciativas positivas de sua gestão tais como projeto “Rio Cidade” e “Asfalto Liso”.
    Fora isso, o projeto original foi por anos objeto de estudo de profissionais capacitados, os quais definiram o trajeto mais eficiente, econômico, com a menor duração de tempo de viagem e o menor custo para a sociedade. Nenhum cidadão na qualidade de eleitor ou contribuinte de impostos admitirá um absurdo como este, tendo em vista que qualquer mudança de projeto gera uma revisão no financiamento, custos de urgência e aperto nos prazos de execução.
    Esta alteração decretará seguramente a morte de grande parte da Zona da Leopoldina, principalmente do bairro de Ramos, que se tornará um simples apêndice de ligação entre os bairros da Penha e Bonsucesso.
   Em nome da Democracia e do bairro de Ramos e na certeza de sermos atendidos, encaminhamos esse documento e humildemente solicitamos o seu auxílio. 
    Agradecemos a sua disponibilidade e aguardamos ansiosamente pela sua ajuda. Acompanhe o nosso Twitter: @transcarionao